segunda-feira, junho 22, 2009

RÁDIO BARLAVENTO -Uma voz portuguesa no Atlântico ao serviço de Cabo Verde

O recém chegado a Cabo Verde que passe uns dias no Arquipélago e conviva com os seus habitantes, notará que todas as noite às 20 horas, sintonizam os aparelhos de telefonia para ouvir a sua querida estação – Rádio Barlavento -. Prestando atenção, fica admirado ao verificar a boa qualidade dos programas e mais admirado ainda quando lhe contam a história desta instituição que, com menos de dois anos de existência, conseguiu já entrar nos hábitos da população ao ponto de se tornar indispensável.

Foi um milagre de fé e trabalho o realizado pelos sócios do Grémio Recreativo Mindelo por meio de um esforço perseverante e apenas com o desejo de serem úteis aos seus concidadãos, criar uma estação de radiodifusão, que incondicionalmente colocaram ao serviço de Portugal de Cabo Verde.

É certo que a cidade do Mindelo em S. Vicente, com o Porto Grande, escala obrigatória da navegação entre a Europa e a América do Sul e África, com o seu movimento comercial e sendo o centro mais importante do Arquipélago, tinha todas as condições para uma estação de radiodifusão com o objectivo de fazer a propaganda de Cabo Verde e do Porto Grande e ao mesmo tempo distrair instruindo a população das ilhas.

O então Governador Tenente Coronel Alves Roçadas prometeu o apoio do Governo à iniciativa que representaria um passo em frente no desenvolvimento de Cabo Verde.

Para demonstrar a sua boa vontade, os cento e quarenta sócios do Grémio recreativo Mindelo ofereceram 130 contos de uma subscrição aberta entre eles e prometeram colaborar gratuitamente na organização, montagem e funcionamento da emissora.

Com esta base, com o empréstimo de 200 contos a serem descontados num subsídio que por ordem do Governador Roçadas a S.A.G.A. concedeu, e com facilidades prometidas pela Philips Portuguesa, encomendou-se a esta casa o emissor de 1 KW, e a aparelhagem necessária ao funcionamento da estação

A 13 de Maio de 1955, Rádio Barlavento deu a sua primeira emissão experimental.

Não foram contudo badalados os esforços. Inaugurada oficialmente pelo actual Governador Senhor Doutor Manuel Abrantes Amaral a 30 de Junho de 1955, Sua Excelência no discurso inaugural prometeu a Rádio Barlavento todo o auxílio moral e material que fosse possível por parte de Governo.

De todas as ilhas e de indivíduos de todas as categorias sociais, da Guiné, de Dakar, da Metrópole e do Brasil, vinham palavras de incitamento e apoio material. As Câmaras Municipais atenderam aos pedidos que lhes foram dirigidos, inscrevendo subsídios aos seus orçamentos, a Câmara de São Vicente além de um generoso subsidio anual forneceu gratuitamente energia eléctrica indispensável e assim embora fosse impossível diminuir excessivamente a dívida, Rádio Barlavento conseguiu manter-se à espera de melhores dias que finalmente chegaram com a concessão por parte do Governo de um subsidio anual de 75 contos, que sua Excelência o ministro do Ultramar Doutor Raul Ventura, por informação de sua Excelência o Governador, mandou inscrever no orçamento da Província.

Rádio Barlavento espera muito em breve, em princípios de 1957, estender a sua acção à América do Norte com emissões especiais dedicadas aos cabo-verdianos que aí labutam.

Será se Deus quiser, um passo mais para o prestígio destas ilhas tão ignoradas e tão profundamente portuguesas.

Mindelo, em S. Vicente, 27 de Dezembro de 1956

Aníbal Lopes da Silva

Fonte: Revista Portuguesa Nº 80 – Maio de 1957 (Especial sobre Cabo Verde)

6 comentários:

  1. Mas oh Carlos o que é que querias que a Radio BARLAVENTO fosse em 1955 senao uma "voz portuguesa" no Atlântico?

    Cabo Verde era uma colónia de Portugal.

    Acho que publicar assim sem enquadramento a crónica do dr Anibal nao é o mais curial.
    Qual é a intençao do Carlos? Honestamente nao compreendi!

    Al Binda

    ResponderEliminar
  2. Nem os socios do Gremio, nem ninguem ofereceu os 130 contos. Esta parte nao foi mais do que um truque idealizado por Henrique d' Albuquerque. Certas entidades assinavam um papel sem qualquer doacao. A astucia tinha em vista arrastar o Rocadas para a benevolencia. O outro governador tera sabido do caso e tentou a reposicao dos 200 contos ao Estado, mas sem sucesso porque houve intervencao do dr.Adriano. A 'estoria' e longa e fiquemos antes por aqui.
    _________laubudes@yahoo.com_____________________

    ResponderEliminar
  3. Oh amigo!
    Radio Barlavento podia bem ter o nome de Radio Complexo de Inferioridade. Foi obra do sr. Mendo Barbosa para poder ter motivo para conversar no Gremio.Ele pouco mais era do que o chefe da criadagem. A Radio B.comecou com bons programas, mas cedo se esgotou o cardapio; ja nao havia nem Djo Pedro, nem nho Roque, nem J. Barbosa.Ficou entregue a bicharada. O grande erro daquela estacao foi a compra de 1 emissor "havy duty" so para 2 horas de emissao. Mendo afirmou, e e verdade,"Es valvula e desgraca de Greme!". Radio Barl. = Radio Complexo. OK?

    ResponderEliminar
  4. a única coisa que eu quero saber é em que frequencia a radio nova transmitia a sua emissão

    ResponderEliminar
  5. Para a Exma. Menina de "Novidade do Dia"
    A extinta Radio Barlavento emitia em 3.96 MHz
    (banda de amadores, pois nenhuma estacao de Cabo Verde tinha licenca de broadcast).
    Se estiver interessada em comunicacao procure um antigo bolletim da CCIR que diz maravilhas do sistema de comunicacao (comercial, nao brodcast) instalado nos anos 70's.
    Felicidades!

    ResponderEliminar
  6. Maceió,23/04/14


    Senhores(as)


    Eucostumava escutar a Rádio Barlavento á noite,aqui no Brasilnem onda curta.Lamento o fechamento deste tipo de onda,coisa hoje muito normal.

    Cordialmente


    Adriel Batista Correia de Melo

    ResponderEliminar